sábado, 24 de maio de 2014

Desabafo #1

O post de hoje foge completamente à temática aqui do blog, no entanto, tive mesmo a necessidade fazer este desabafo.
Eu vivo numa aldeia, pelo que há sempre animais vadios pelas ruas, no entanto, em Maio, o número, principalmente de cães abandonados, aumenta exponencialmente.
O facto de as pessoas abandonarem os seus cães sempre foi algo que mexeu profundamente comigo. Antes de ter a Luna, mexia porque tinha muito medo de cães, e os perdidos assustavam-me ainda mais por andarem soltos e esfomeados. Depois de ter a Luna perdi esse medo, mas a situação dos abandonos passou a incomodar-me ainda mais porque nasceu em mim o amor pela Luna e passei a olhar para todos os animais, principalmente cães, com outros olhos e com muito mais carinho.
Queria muito apelar à consciência de todos, até os que julgam amar animais, para não cometerem o disparate do abandono.
Eu sei que tudo o que é pequeno tem mais graça enquanto assim o é, no entanto, nunca vi ninguém abandonar um jovem adolescente só porque cresceu e deixou de ser tão engraçado como outrora.
Um cão adulto é uma prisão? É! Mas um filho humano também não o é? Podemos deixar o nosso filho com a nossa mãe, ou a nossa vizinha, e o cão também, já pensaram nisso? As coisas só não se resolvem se não houver vontade para tal.
A Luna é minha, mas como estudo em Coimbra e só venho a casa ao fim-de-semana, os meus pais têm tanta ou mais responsabilidade nela do que eu. Sei que eles já tiveram de deixar de fazer algumas coisas, ou fazê-las de formas diferentes por causa da nossa patuda, mas já pensaram na quantidade de cosias boas que eles nos dão? Não quero pensar muito nisso, mas tenho a certeza de que quando a Luna partir, vou chorar muito mais e ficar muito mais triste do que ficarei pela maioria das pessoas presentes hoje na minha vida.

A Luna com dois meses e a um mês de fazer três anos. Continua com a mesma beleza. 

Chegar a casa, posso estar linda, feia, cheirar bem ou mal, vir triste alegre ou irritada, mas a Luna vem sempre a correr ansiosa por saltar para mim e me lamber! Sinceramente, não sei se haverá sensação mais bonita e agradável do que isto.
Custa-me muito ver os cães esqueléticos por aqui abandonados, que vão acabar de baixo de algum carro ou envenenados pelos habitantes chateados por lhes estragarem as agriculturas.
Por isso, peço-vos do fundo do coração, que antes de terem um cão, ou um qualquer outro animal, pensem bem se estão dispostos a abdicar de certas coisas e a terem uma responsabilidade enorme. 
Depois de ter a Luna, sei que a minha vida não vai ser a mesa sem animais, mas sei que se eu e a minha família trabalharmos o dia todo e viermos a morar num apartamento, será impensável ter um cão só por capricho e deixá-lo em casa o dia todo sozinho. A Luna é muito feliz porque a minha mãe é doméstica e passam os dias as duas a jardinar e pela rua e sinto-me muito bem por lhe poder dar uma vida digna de um cão (que quem sabe não merece mais dignidade do que nós).
Xana Nunes.

1 comentário:

  1. Linda reflexão, na minha cidade existe um abrigo para cães, que acolhe e cuida de cães de rua e os disponibiliza para adoção. É um trabalho lindo, mas que seria muito melhor que não fosse necessário. Também amo meus cães e não imagino como alguém pode abandoná-los, inclusive a Mili (minha cadela) foi achada na rua por um amigo nosso quando era filhote. É muito triste imaginar como alguém tem coragem de abandonar esses bichinhos que enchem nossa vida de amor.
    ;*


    http://espeloteadaepatricinha.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar

Obrigada por tomares esta Chávena de Charme!
Os comentários serão respondidos assim que possível, no mesmo post!